Publicado: 27.06.16

Published: 06.27.16

Na época do feudalismo, as diferenças entre classes sociais eram extremas e os vassalos eram mortos por ousarem a buscar acesso à informação. Do século IV ao século XXI o mundo se transbordou, se desdobrou em mil e hoje temos todos acesso quase que homogêneo. Todo mundo tem acesso a tudo o tempo todo. No meio dessa convergência em massa no open news da vida, fica a dúvida: como ser diferente/único/peculiar na hora da comunicação?

Convenhamos, quantos tsunamis de posts você já leu sobre exercitar a criatividade, a importância do inbound marketing ou até mesmo sobre conquistar clientes em tempos de crise? Basicamente cada um desses posts fala da liquidez (palavra em voga, anotem!) dos tempos modernos e possuem uma mesma finalidade: se diferenciar dos demais.

“Leia mais e saia da zona de conforto.” Agradecemos a todos os envolvidos pelo enigma desvendado, voltemos à programação normal.

Pensa comigo nesse vortex, que não é nada recente: se todos estão fazendo diferente, estariam todos fazendo a mesma coisa? Fazer/ realizar/ executar diferente, eu faço, tu fazes, eles fazem. O buraco é mais embaixo. É sobre (r)evolução pessoal. É sobre transformar a própria mentalidade em um MegaZord, que um dia começou com 5 Rangers, Alpha e Zordon. Em suma: é sobre dar vida útil prolongada ao conteúdo, fazer com significado.

Mas até chegar lá, está permitido entrar em conflito, em contradição, no senso comum. Para, respira, fuma um cigarro, reflete, vive, e não se esqueça de errar pra caramba. Quando pensar diferente sobre o lado B das coisas, vai acabar refletindo em ações e execuções que, de fato, façam a diferença. Mesmo que repetidas, mesmo que clichês, como esse texto.

 

post-24-06-2