Publicado: 21.07.16

Published: 07.21.16

Antes dizia-se que novas gerações apareciam a cada 25 anos, mas sabemos que nada dura pra sempre. Hoje, nem a passagem do tempo é mais a mesma, 24 horas parece pouco e mal conseguimos acompanhar todas as informações novas que surgem o tempo inteiro, assim o período foi reduzido para 10 anos. Isso significa que a cada década virá um novo estilo de vida que será um tapa na cara da sociedade, e se a mais recente delas, a Geração Z, já tem deixado os mais velhos levemente perdidos, imagine só a que virá depois.

Os Millenials (a.k.a. geração Y) já estão ficando velhos e chatos. Sua energia revolucionária e a vontade de aproveitar o que o mundo tem a oferecer foi consumida pelas dificuldades encontradas, como a crise, que não existiam em suas imaginações alimentadas por histórias de sucesso, como a de Mr. Zuckerberg, e nas suas vidas protegidas sendo criados no apartamento pela vovó.

E quem está aí surgindo para preencher esse espaço? Oh yeah, Gen Z is here! E onde estão? Alguns têm lá seus 6 anos e já sabem manusear muito bem um iPad mas não conseguem amarrar seu próprio cadarço, e os mais velhos deles estão já entrando no mercado de trabalho em busca de fazer a diferença. Muito novos, novinhos em folha, os mais velhos nascidos em meados dos anos 90 adiante, mas já com muitas ideias na cabeça.

Essa nova geração é diferente, claro. Suas características mais marcantes envolvem ter o pé no chão, estar atenta a volatilidade das coisas e querer gerar impacto. É super diversificada e altruísta também. O que mais chama atenção, principalmente do mercado de trabalho, é seu empreendedorismo nato e a disposição para co-criar.

Para conseguir aproveitar ao máximo o que as belas mentes dos GenZers têm a nos mostrar não basta só querer contratá-los, tem que estar disposto a se adaptar para conquistá-los. Eles são o futuro das relações corporativas, já pensam em ter seu próprio negócio, e se não estão com você podem estar trabalhando em sua própria marca/produto/empresa.

O conflito de gerações é algo normal. Com esses novos profissionais chegando alguns dos principais pontos que vão intrigar o pessoal old school serão a dificuldade deles ouvirem os outros, sua personalidade mais fechada, não falam muito, e uma adaptação difícil aos escritórios monótonos.

Com o contraste e a necessidade de adaptar o sistema novas propostas para o ambiente de trabalho vêm. E essas mudanças afetarão o que/quem? Simples: tudo e todos. Elas serão voltadas para ajustar o que já existe em função dos novos tripulantes, como a aderência de uma gestão horizontal, uma maior fluidez nos processos e a aplicação de MAIS tecnologia.

scroll-+-eye-+-one

Essa geração se desconectou do cordão umbilical de suas mães e já estavam online, o analógico para eles é aquele do controle do PlayStation e olhe lá, lembre-se disso.

Para quem já está pensando em ter a Geração Z a bordo de suas empresas, prepare seu terreno aconchegante para receber as novas ideias que irão surgir quietas e borbulhantes e moldarão o novo mercado. A melhor maneira de lidar com o novo é respeitá-lo e deixá-lo fluir a sua maneira, só assim ele mostrará seu melhor lado. A partir daí só o tempo dirá, mas não se acostume demais, a geração Alpha – nascidos depois de 2010 – já está indo para a escola e logo chega para mudar tudo de novo, ou não, ou sim. Quem viver verá.